MENU

JORNAL O+POSITIVO - FUNDADO EM 2004

domingo, 25 de Fevereiro de 2018

É FÁCIL VER A DIFERENÇA, COMPARE!

PUBLICIDADE

Política

Gleisi praticou corrupção passiva e lavagem de dinheiro, diz PF

Polícia conclui inquérito sobre uso de dinheiro de propina da Odebrecht em campanha ao Senado em 2014; ex-ministro Paulo Bernardo da Silva também é acusado

08/08/2017, às 08h08

A Polícia Federal concluiu que a senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do PT, e seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo da Silva, também do PT, são culpados da prática de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, além de crime  eleitoral na campanha que a levou ao Senado em 2014.

As conclusões do inquérito foram divulgadas nesta segunda-feira pela PF. O documento segue agora para o Ministério Público Federal, que pode decidir se oferece ou não denúncia contra a senadora, que tem foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo a PF, em fevereiro de 2016, foram apreendidos documentos na casa de uma secretária do setor de operações estruturadas – que ficou conhecido como “departamento da propina” – da construtora Odebrecht. Entre eles estavam planilhas relatando dois pagamentos de 500 mil reais cada a uma pessoa de codinome “Coxa”, além de um número de celular e um endereço de entrega. A investigação identificou que a linha telefônica pertencia a um dos sócios de uma empresa que prestou serviços de propaganda e marketing na última campanha de Gleisi.

A PF verificou outros seis pagamentos no mesmo valor, além de um outro de 150 mil reais em 2008 e duas parcelas de 150 mil reais em 2010. Também foram identificados os locais onde os pagamentos foram realizados e as pessoas responsáveis pelo transporte de valores. Essas tabelas, de acordo com a polícia, também foram apresentadas pela construtora no momento em que foi firmado termo de colaboração premiada.

Ainda segundo a PF, “há elementos suficientes para apontar a materialidade e autoria dos crimes de corrupção passiva qualificada e lavagem de dinheiro praticados pela senadora, seu então chefe de gabinete, Leones Dall Agnol, e seu marido, Paulo Bernardo da Silva, além dos intermediários no recebimento, Bruno Martins Gonçalves Ferreira e Oliveiros Domingos Marques Neto”.

Fonte: Veja

Veja também

Investigação do MP exonera servidores fantasma e em situação de nepotismo em Arenópolis

16/02, às 17h02

Entre os exonerados estão filhos de vereador e secretário municipal, sogra e mulher de secretário, tio de servidores, bem como ocupantes de cargos inexistentes na legislação


Planilha mostra que não há votos suficientes para aprovar reforma da previdência

05/02, às 08h02

Às vésperas da votação da reforma na Câmara, números apontam que Planalto está longe dos 308 votos necessários


Emoção toma conta de posse de Ovarci Vilela como prefeito de Arenópolis

29/01, às 11h01

Cargo ficou vago no último dia 26, com a morte do prefeito Flávio Júnior. “Aqui ninguém foi aplaudido, não há motivos para comemorar. Só estamos cumprindo a legislação, mas vamos trabalhar duro por nossa comunidade”, disse emocionado o novo prefeito


Em decisão unânime, tribunal condena Lula em segunda instância e aumenta pena de 9 para 12 anos

25/01, às 08h01

Recurso contra condenação pelo juiz Sérgio Moro foi rejeitado pelos três desembargadores da 8ª Turma do TRF-4. Esgotadas as possibilidades de recurso no tribunal, Lula poderá ser preso


Após votação na Câmara, prefeito de Aragarças tem cargo cassado

18/01, às 09h01

Presidente da Câmara Celso Barros informou que os parlamentares empossarão o vice Léo Leão na condição de prefeito, nesta quinta-feira (18/01). José Elias afirma que irá recorrer da decisão


Prefeitos do Oeste Goiano buscam recursos federais no Ministério das Cidades

17/01, às 10h01

Grupo composto por representantes de Piranhas, Arenópolis, Baliza, Doverlândia, Diorama, Bom Jardim de Goiás, Aragarças, Caiapônia e Palestina de Goiás solicitou do ministro Alexandre Baldy parceria para que os municípios se adequem ao Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Administradores deram o primeiro passo para a criação de um consórcio intermunicipal de desenvolvimento da região


PUBLICIDADE